1 novembro 2018

Nota fiscal eletrônica do produtor rural, o que é?

Nos dias atuais, não existe nenhuma outra opção além de ser tudo “preto no branco”, tudo o que acontece precisa ser comprovado de alguma maneira. Em especial quando o assunto dinheiro está envolvido, é obrigatório comprovar tudo de forma correta, dentro do que a Lei manda, e não de maneira informal, com apenas notas escritas à mão em blocos do produtor e demais documentos desta espécie, como em alguns lugares este tipo de prática ainda é comum. Para formalizar as transações do mundo agrícola, foi criada a nota fiscal eletrônica do produtor rural.

Obviamente, se não existem as notas, cupons ou algum outro tipo de documento de comprovação fiscal, oficialmente não existe o produto, não existe venda, e principalmente, não existe garantia nenhuma ao produtor ou ao comprador desta mercadoria agrícola em relação aos seus direitos tanto na entrega desses volumes, quanto ao recebimento dos valores referentes a eles.
O que é o mais importante para a parte contratante do produto ou serviço, quanto ao empresário.

A forma de emitir Notas Fiscais já se tornou eletrônica e obrigatória em quase todos os segmentos do comércio, no entanto o ramo agrícola ainda está um pouco relutante quanto a adoção da nota fiscal eletrônica do produtor rural.

A expansão do mercado agrícola nos últimos anos no Brasil

A agropecuária é uma atividade fundamental e indispensável para a sobrevivência de cada um de nós, tudo o que comemos é proveniente dela.
Boa parte do que vestimos e vários outros produtos que utilizamos e consumimos em nosso cotidiano são fruto do esforço de todos aqueles que trabalham incansavelmente todos os dias no campo, cultivando e colhendo esse tipo de matéria-prima, que serve como base para tudo o que usufruímos, sendo um dos pilares mais fortes na economia do nosso país.

O mercado agrícola tem demonstrado uma evolução extremamente significativa ao longo dos últimos anos já que também é um dos segmentos mercantis mais antigos da humanidade, além de ser uma das áreas que mais tem se atualizado ultimamente.

Tendo em vista que nos encontramos na era da informação, onde tudo é digital, a tecnologia vem invadindo os campos a cada dia com mais força, se tornando um auxílio em muitos aspectos da vida do produtor rural.

O crescimento do ramo comercial é visível desde os agricultores familiares em suas pequenas porções de terra com poucos ou nenhum funcionário, até os latifundiários com propriedades gigantescas.

A tecnologia adentrando as porteiras do agronegócio

As máquinas e implementos agrícolas estão tornando-se cada vez mais modernos, com design completamente novos, além de uma boa funcionalidade.
Elas também vêm oferecendo muito conforto aos seus usuários e um maior aproveitamento na hora de plantar e colher, já que estes equipamentos possuem diversas funções tecnológicas, até mesmo GPS, o que faz com que os usuários desses serviços tenham um panorama muito mais amplo e preciso de suas propriedades, em especial nas áreas de cultivo, tendo uma espécie Raio-X do seu solo e da produção.

A agricultura de precisão é a prova do quanto este recorte da nossa economia tem se desenvolvido, com a adoção do uso de aparelhagem de última geração, é possível fazer com que cada centímetro da propriedade que emprega este recurso seja devidamente mapeado e avaliado.

Considerando as condições do solo, clima e localização, desta maneira é viável alcançar informações completas para que se obtenha as condições perfeitas para cada espécie cultivada, utilizando-se desses recursos é quase possível “ver o futuro” da plantação dos usuários

.
Todos esses avanços tecnológicos reduzem os gastos no agronegócio e aumentam a produtividade de maneira muito significativa, fazendo com que a cada safra que se passe, o proprietário agrícola tenha uma quantidade ainda maior de grãos prontos para serem comercializados.

Essas iniciativas mais modernas acarretam uma produção maior para a venda desta mercadoria, tanto para a cidade ou estado de origem destes produtos, quanto para demais localidades, até mesmo fora do país, movimentando também o setor de exportação de alimentos e demais matérias-primas produzidas pelo ramo agropecuário, aquecendo ainda mais nossa economia.

É notável o investimento que todos os agricultores que têm condições financeiras um pouco mais favoráveis fazem em tecnologia, a real falha cometida por esses produtores, para não se dizer erro de gestão empresarial, é que na maioria das vezes estes processos modernos e mais evoluídos são deixados exclusivamente para a hora do plantio, colheita e manejo do solo, ou seja, apenas no momento da produção dos grãos. Tendo em vista que este comércio tem se expandido, é de suma importância que o proprietário de agronegócio adote a nota fiscal eletrônica do produtor rural.

Adoção de tecnologias na gestão do agronegócio

Alguns procedimentos da propriedade rural às vezes ficam em segundo (último) plano quando o assunto trata de atualização e automação das outras demandas, e sem perceber esses proprietários de agronegócio acabam tendo atrasos e consequentemente, perdendo negócios e clientes, pois possuem as melhores colheitadeiras, enquanto esquecem de modernizar seus escritórios.

Dentro de uma propriedade rural, é necessário realizar diversas atividades administrativas dentro da gestão do agronegócio, elas são importantes para manter tudo o que acontece em ordem, para se ter um controle dos produtos que estão em estoque, do fluxo de caixa, quais são as contas a pagar e a receber, gerenciar os veículos e o maquinário da empresa, quais precisam de conserto e manutenção, e assim sucessivamente.

É comum que os proprietários desses empreendimentos não tenham conhecimento de como os seus funcionários realmente exercem essas atividades dentro dos escritórios, ou os próprios donos das fazendas optam por realizar esse registros em caderninhos ou bloquinhos.

Enquanto existem diversas outras formas de gestão do agronegócio mais rápidas, práticas e modernas, e que combinam muito mais com máquinas robustas do que os modelos antigos de controle.

A comprovação das movimentações fiscais e financeiras no agronegócio

Após finalizar por completo o processo de cultivo, colheita e as demais etapas de que uma produção rural demanda para atingir o seu produto final, é chegado o momento mais esperado por quem produz, a venda e consequentemente a chegada dos lucros.

Quando uma mercadoria vai além dos limites da sua propriedade rural, indústria ou empresa de qualquer segmento, esta movimentação precisa ser devidamente documentada, da mesma maneira que deve ser registrado quando este volume sai de sua cidade, estado e principalmente país de origem.

Tendo em vista que nesses casos a documentação requer um cuidado ainda maior e um número de informações muito mais precisas, claras e detalhadas.
Por razões de segurança financeira e para fazer com que os direitos de todos os envolvidos nesse processo de compra e venda de produtos e prestação de serviços no mercado agrícola fossem garantidos, foi criada a Nota Fiscal Avulsa do Produtor Modelo 4 que até o momento da criação da nota fiscal avulsa eletrônica do produtor rural, era preenchida à mão pelos próprios comerciantes agrícolas.

Essa documentação servia para que o agricultor tivesse uma garantia um pouco maior de seus direitos, e era encontrado em anexo ao Bloco do Produtor Rural que todos os trabalhadores do campo possuíam, e que alguns possuem até os dias atuais.

Este gênero de documento deveria ser preenchido previamente, antes mesmo que o produto saísse do estabelecimento, inclusive anteriormente de que ele fosse realmente transmitido, ainda que de maneira simbólica, para o cliente, e todo o processo de comprovação fiscal através deste meio arcaico já devia ter sido feito.

Nesta maneira de comprovação fiscal, o empresário ainda tinha a necessidade de comparecer na Prefeitura do município em que esta propriedade rural estivesse localizada, fazendo com que muitas vezes esta obrigatoriedade na locomoção atrapalhasse os negócios, gerando muitos atrasos e vendas perdidas.

Conforme os anos foram passando, a tecnologia foi se desenvolvendo em uma velocidade cada vez mais acelerada, alguns dos diversos processos manuais como este meio de comprovação fiscal foram deixados para trás.

O princípio da Nota Fiscal Eletrônica

Muito antes da chegada da nota fiscal eletrônica do produtor rural existir, em 2014, a Secretaria da Fazenda (SEFAZ) passou a disponibilizar o seu modelo de Nota Fiscal Avulsa Eletrônica (NFA-e) em seu site oficial, onde a mesma até hoje pode ser utilizada pelos seus usuários cadastrados neste endereço eletrônico, contanto que cumpram alguns requisitos básicos.

Uma dessas requisições para poder imprimir as notas fiscais de forma eletrônica é a Assinatura Digital, imprescindível na hora de comprovar oficialmente qualquer operação comercial realizada através da internet de maneira prática e com total sigilo e segurança sobre suas informações.

Esta espécie de Nota Fiscal Eletrônica entrou em funcionamento ainda no ano de sua criação e foi de grande ajuda na hora de organizar as transações comerciais dentro das empresas, que passaram a emitir digitalmente seus comprovantes fiscais, e para os clientes que em poucos segundos já recebiam suas notas, mas obviamente isso não seria diferente no agronegócio.

A Nota Fiscal Eletrônica podia ser emitida diretamente no site da Secretaria da Fazenda, tendo em vista que o uso de notas fiscais é imprescindível em transações comerciais onde ocorre tributação. Em alguns ramos comerciais o uso deste modelo já é obrigatório.

Essas notas dispensam a locomoção até a Prefeitura, por exemplo, e são uma possibilidade de agilizar esse processo que agora pode ser realizado dentro da própria propriedade utilizando-se apenas de um computador que tenha acesso à internet.

É de fato inegável afirmar que nos dias atuais todos os empresários precisam de um Certificado Digital, até mesmo os que possuem apenas Micro Empresas e os próprios Microempreendedores Individuais (MEI’s).

É claro que mais uma vez, agronegócio não se difere em nada dos demais tipos de comércios e indústrias e por isso surgiu a necessidade de informatizar a emissão de notas fiscais e os demais documentos deste segmento tão importante para a nossa economia.

Desta forma, a Nota Fiscal Eletrônica passou a funcionar também para o meio agrícola, ficando conhecida como nota fiscal eletrônica do produtor rural, sendo um documento diferente das notas comerciais.

Notas Fiscais Eletrônicas: Qual a sua real finalidade?

Antes mesmo de imaginar que a Nota Fiscal Avulsa Eletrônica do Produtor Rural iria surgir um dia para servir de auxílio nas tarefas contábeis e tributárias do dia a dia no campo, as notas fiscais sempre existiram, independentemente de seu formato, inclusive no modelo dos antigos recibos escritos à mão.
Até pouco tempo atrás os documentos manuais também já foram obrigatórios em qualquer operação comercial, caso as partes quisessem comprovar suas ações de compra e venda, seja de produtos ou prestação de serviços.

Tinha como maior finalidade documentar e registrar este ato, garantindo os direitos das duas partes envolvidas na transação comercial agrícola em questão.
Não usar este documento não é considerado sonegação fiscal, no entanto, é indicado que os consumidores exijam suas notas e cupons fiscais em qualquer operação mercantil para garantir seus direitos sobre as mercadorias e serviços que adquirem ou que contratam.

Para quem oferece as notas, emiti-las traz uma maior segurança sobre o pagamento de seus produtos e serviços prestados, especialmente nos casos onde o consumidor precisa exigir a garantia ou reembolso sobre algum bem adquirido.
A Nota Fiscal Eletrônica tem como principal definição ser um documento que existe apenas na modalidade digital, que é emitido e armazenado de maneira virtual e seu principal objetivo é comprovar operações de circulação de mercadorias, ou prestação de serviços entre as partes envolvidas nessas transações comerciais.

O prazo para a validação deste serviço é imediato, um ponto super vantajoso para quem tem pressa de negociar e acelerar a velocidade das vendas e consequentemente dos lucros.
O projeto piloto para a criação da Nota Fiscal Eletrônica foi iniciado no ano de 2005, e para a sua elaboração foi necessária a participação das Secretarias da Fazenda de 6 estados e várias empresas de grande porte do nosso país, que tornaram a Nota Fiscal Eletrônica possível e transformando-a no que ela é hoje em dia.

Esses órgãos também agem ativamente como grandes colaboradores na popularização de seu uso entre os mais diversos tipos e tamanhos de empreendimentos em todos os estados do Brasil.
Atualmente, o uso deste documento é obrigatório na grande maioria dos municípios brasileiros, presumindo-se de que ainda existem várias outras cidades que não possuem a obrigatoriedade até o momento, também o emitem no comércio em geral, atacado e varejo.

A Nota Fiscal Eletrônica é transmitida através de internet, e age como um facilitador para o trâmite de papel do documento entre o emissor (que oferece o produto ou presta o serviço em questão), o consumidor (quem compra a mercadoria ou contrata o serviço da empresa emissora da Nota Fiscal Eletrônica) e por fim os órgãos públicos (que fiscalizam a regularidade desses documentos).
Este documento é emanado de forma eletrônica, que só passa a ser válida por meio da Assinatura Digital (token), fundamental para os que querem ou possuem a necessidade de emitir documentos e fazer transações comerciais e monetárias virtualmente.

A nota fiscal eletrônica está entre os documentos que fazem parte do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), adotado pelo Governo Federal do Brasil no início do ano de 2007.
O SPED originou-se por meio do Decreto 6.022/2007, e tem como sua principal função unificar todas as atividades de recepção, validação, armazenamento e autenticação de livros e documentos que integram a escrituração contábil e fiscal dos empresários.

Assim como de suas empresas e de pessoas jurídicas, mesmo as imunes ou isentas de tributos, mediante a fluxo único e digitalizado de suas informações, independentemente do seu setor econômico de atuação.

Desta forma, a documentação contábil e fiscal da empresa em questão, é emitida de maneira eletrônica.
A Nota Fiscal Eletrônica teve seu uso obrigatório no primeiro momento para as empresas que exercem determinadas atividades de comércio, em especial as que contribuem por meio de Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), e pelo Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

Ou realiza os dois tipos de contribuição ao mesmo tempo, o que gera a obrigatoriedade em emitir a Nota Fiscal Eletrônica independentemente do produto que venha a comercializar, e agora essas leis de comprovação fiscal, também vem sendo mudadas para se adequar também ao mercado do agronegócio. Clique aqui para um passo a passo sobre a emissão na nota fiscal eletrônica via portal do SEFAZ.

Benefícios na adoção da Nota Fiscal Eletrônica do Produtor Rural

Utilizar de uma tecnologia que auxilia e muito no dia a dia de várias empresas do comércio em geral atualmente é uma grande vantagem em frente a concorrência independentemente de qual seja o seu segmento de atuação.

Conheça alguns benefícios e funcionalidades que você e seu agronegócio passarão a possuir com o uso e a emissão da nota fiscal eletrônica do produtor rural.

• Praticidade:

No momento em que foi adotada a nota Fiscal eletrônica do produtor rural, extinguiu-se a necessidade de utilizar o modelo que era até então empregado, a antiga Nota do Produtor Modelo 4.
Ela podia ser encontrada em anexo ao próprio bloco do produtor dos agricultores, ao invés de preencher manualmente este documento com diversos dados em um processo demorada, que ainda exigia a locomoção física dos envolvidos.

Com a adesão da nota fiscal eletrônica do produtor rural, é simplesmente colocar os dados da transação comercial no sistema, e emitir, poupando tempo e dando mais agilidade e praticidade para o dia a dia tão corrido no agronegócio.

Além disso, com a adesão desta tecnologia, chega ao fim a necessidade de locomoção até a Prefeitura para validar estes documentos.

• Maior integração administrativa:

Quando se adota um sistema de emissões de Notas Fiscais Eletrônicas, que estará sempre integrado e sincronizado com o Governo Federal, e permite o registro de dados, se facilita a consulta de memorandos de maneira mais rápida e completa.

Ou seja, você encontra em um só lugar as informações fiscais de compra e venda de seus produtos, e pode passar ao Governo todas essas informações referentes às suas vendas pelo mesmo canal em poucos minutos.

• Padronização no armazenamento de informações

Apesar de que a obrigatoriedade da adoção da nota fiscal eletrônica do produtor rural ainda não seja aplicada de maneira igual em todos os estados do Brasil, as informações necessárias para que seja possível emitir este documento são as mesmas em todos os municípios do país, ou seja, todos os dados coletados serão da mesma natureza.

O que facilita manipulação destas informações, para atividades como análises de mercado e demais operações deste caráter, além de ser um facilitador nas consultas às informações de suas notas fiscais eletrônicas.

As exigências e obrigações para possibilitar determinada empresa agrícola emita nota fiscal eletrônica do produtor rural são as mesmas sem exceção.

• Possuir o controle completo das operações contábeis do seu agronegócio

A partir do momento em que as Notas Fiscais Eletrônicas são emitidas, elas já se encontram disponíveis para a realização do controle fiscal da empresa.
Em diversas cidades, já é possível cruzar informações dos prestadores de serviços com os dados dos tomadores de serviço.

Sendo assim, ficam inviáveis as antigas práticas lesivas tanto ao interesse público quanto ao interesse do emissor e do consumidor do produto comprovado em determinada Nota Fiscal Eletrônica, impossibilitando rotinas como a emissão de notas calçadas ou meia notas.

Essa ação traz mais clareza na comprovação das operações de venda, excluindo possibilidades de fraudes e falhas humanas desta natureza, trazendo informações corretas, precisas e uma prática fiscal benéfica a todos os envolvidos nas operações em questão.

• Mais efetividade no controle das Notas Fiscais Eletrônicas:

Como já falamos, a integração e a padronização das informações fiscais acumuladas pelo seu órgão emissor, permitem uma fiscalização mais rápida e eficiente, pois todos esses dados estão armazenados no mesmo local.

Por meio disso, surgem ainda mais três vantagens semelhantes, mas que também estão relacionadas à fiscalização, como a possibilidade de realização de ações fiscais coordenadas e integradas, assim como a oportunidade de intercâmbio entre elementos fiscais de diversas esferas governamentais.

Bem como a comunicação dos dados em grande escala com a padronização e unificação das informações e procedimentos fiscais.

• Redução na produção de lixo e maior cuidado com o meio ambiente:

A partir do momento em que a nota fiscal eletrônica do produtor rural for adotada, nascerá junto com ela uma consciência de sustentabilidade.
Pois ao invés de se utilizar de blocos, cupons e recibos de papel, tudo pode ser resolvido através da tela do computador, o que faz com que se origine uma quantidade muito inferior de lixo comparado ao que se gerava até então, uma iniciativa ecológica em favor do nosso planeta é sempre válida.

E de quebra, os custos com impressões são diminuídos de maneira considerável, além de facilitar o armazenamento dos documentos fiscais, e minimizar a necessidade de obter espaço para armazenamento de comprovantes fiscais físicos (impressos no papel), em prateleiras e arquivos cheios de pó.

• Minimização de erros e falhas humanas:

Qualquer forma de automação que você tenha desejo de implantar independente do processo que a sua empresa realize manualmente e passe a ser digital, é uma maneira de gerar mais agilidade e praticidade no seu dia a dia.

Bem como, diminuir significativamente os erros que eventualmente podem acontecer quando uma ou mais pessoas ficam encarregadas de realizar manualmente um procedimento da empresa.
Por mais simples que essa ação seja, quando esta atividade se torna informatizada, além de facilitar o trabalho do seu time de colaboradores que realiza esta função, diminui em grande proporção as possibilidades de erro da pessoa que é encarregada na emissão das notas fiscais, tendo em vista que as mesmas se encontram armazenadas virtualmente de maneira segura.

Reduzindo os custos de envio de documentos fiscais nas empresas que adotam essa prática. É sempre conveniente lembrar que o emissor da nota pode ser multado por comunicar dados incorretos nas notas que gera em sua empresa, por isso tenha sempre um cuidado redobrado na hora de informar cada um dos elementos da sua nota fiscal eletrônica do produtor rural.

• Melhor planejamento de logística:

Quando uma empresa admite a prática de emitir Notas Fiscais Eletrônicas entre seus processos cotidianos, ela ganha uma melhoria significativa no desempenho dentro de vários dos seus setores, em especial na área que compete a logística de distribuição.

As informações da nota fiscal eletrônica do produtor rural podem ser previamente conhecidas, como o preço e a quantidade de produto, além de poder planejar as vagas de garagem para caminhões, de carga e descarga, bem como os estoques de armazenamento de mercadoria.

Quando se trata de logística de envio de notas fiscais, os custos inexistem, já que esses documentos já podem ser enviados através da internet.

• Utilidades para os compradores:

Uma das mais importantes vantagens para os compradores é que com a adesão da nota fiscal eletrônica do produtor rural, não há mais necessidade de digitalizar as notas na hora em que os produtos são recebidos, já que todo o sistema utilizado para que ela seja emitida já é digitalizado.

Desta forma, a mesma é gerada eletronicamente, demonstrando uma diminuição significativa nos erros de escrituração e também durante o processo de digitalização e armazenamento virtual desses documentos em questão.

• Redução dos gastos:

No momento em que se adota a nota fiscal eletrônica do produtor rural, a empresa agrícola que a emite gasta muito menos recursos financeiros com papel e impressão, além de ser uma medida ecologicamente consciente, também diminui os gastos com esses materiais, bem como, com locais para armazenar essa documentação.

• Menos gastos com mão-de-obra

Essa medida acaba com a necessidade de contratar uma pessoa pra ficar especificamente responsável para tratar das notas fiscais eletrônicas, pois menos mão de obra para pagar acarreta uma grande economia para qualquer empresa.

Ao utilizar de processos automatizados, o próprio sistema envia esses documentos aos clientes, no momento em que você achar mais adequado, antes ou depois da garantia incondicional.
Ademais, se um colaborador fica encarregado apenas de uma tarefa repetitiva como preencher notas fiscais a mão, ele fica desmotivado e acaba indo procurar outras funções em outras empresas, em uma atividade que seja menos monótona e onde ele se sinta útil e mais realizado.

Quando se automatiza uma atividade como essas, bons funcionários podem ser aproveitados em outras funções que os façam se sentir mais importantes para o desenvolvimento e crescimento da empresa, o que faz com que eles trabalhem com mais dedicação.

• Descontos no IPTU e ICMS:

Na maioria dos casos, com a adoção da nota fiscal eletrônica do produtor rural, o emissor da nota (quem vende o produto), ganha descontos nas tributações de IPTU e ICMS, para informações mais precisas sobre a situação do seu negócio em relação a este tópico.

Converse com o seu contabilista e descubra se a sua empresa se enquadra nas características dos empreendimentos podem usufruir deste benefício.

• Cumprimento dos deveres fiscais quanto ao Governo Federal

Quando se instaura o uso da nota fiscal eletrônica do produtor rural em um agronegócio, é possível ter uma melhor fiscalização na área tributária em geral, sendo uma prática positiva para o Estado e aos cidadãos como um todo.

Este documento traz informações de tributações de uma maneira muito mais detalhada, e gera maior empenho entre as empresas e contadores.
É uma medida facilitadora na hora da fiscalização, sabendo que o controle da mercadoria e da prestação de serviço se encontra preso às Notas Fiscais Eletrônicas emitidas pelos fornecedores.

Treinamentos sobre a emissão da nota fiscal eletrônica do produtor rural

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), algumas Prefeituras Municipais e Sindicatos Rurais espalhados em diversos estados do nosso país, estão oferecendo um curso preparatório para a emissão da nota fiscal eletrônica do produtor rural, que tem como principal objetivo fazer com que os agricultores tenham um maior domínio na hora de gerar este documento de comprovação fiscal.

Os participantes destas aulas, cursos e oficinas, aprendem lições sobre administração rural além da emissão da nota fiscal eletrônica do produtor rural, assim como as legislações tributárias e previdenciárias, em especial com relação ao posicionamento deste produtor rural com a Previdência Social.

Dando destaque aos seus deveres e direitos quanto a legislação na hora de utilizar a nota fiscal eletrônica do produtor rural em suas operações comerciais de compra e venda.
Além de ensinar os produtores rurais a respeito deste tema, o SENAR também está capacitando outros órgãos que têm contato direto com este público acerca da nota fiscal eletrônica do produtor rural, para que mais agricultores aprendam sobre o assunto por meio de outras entidades.

Fazendo com que todos estejam preparados quando a emissão deste documento se tornar obrigatória em todo o nosso território nacional.

Adesão de um ERP na emissão da nota fiscal eletrônica do produtor rural

Como foi mencionado anteriormente, quando se inicia a utilização de um Sistema de Gestão Empresarial para a emissão de notas fiscais eletrônicas dentro de uma empresa, é um ato benéfico não apenas para a realização deste processo gerar e enviar notas para os seus consumidores e o Governo Federal.

Mas para que outras funções do seu empreendimento possam ser organizadas através deste sistema, podendo ser de grande ajuda aos que realizam as mais diversas atividades manuais no dia a dia dos escritórios dentro das propriedades rurais que comercializam suas mercadorias Brasil a fora e em alguns casos também para o exterior.
Mas você sabe o que é e qual a real finalidade de um ERP dentro de uma instituição?

Esses sistemas são a opção que algumas empresas encontram para melhorar o desempenho interno da sua organização, ou seja, este software tem como sua maior missão fazer com que seu negócio tenha mais assertividade na hora de tomar decisões importantes.

Já que todas as atividades diárias da empresa se encontram no mesmo lugar, desde o administrativo até o operacional, controlando o faturamento, o balanço contábil, setor de compras, fluxo de caixa, contabilidade de impostos, administração do inventário de estoque das mercadorias que a empresa oferece, os produtos que são adquiridos dos fornecedores contas a pagar e a receber.
Até mesmo o controle do ponto do funcionários, constando horários de entrada, saída, e o saldo de horas trabalhadas, bem como a frota de veículos que o seu negócio possui, com quem e onde está cada um desses automóveis, além do maquinário e o gerenciamento da logística de distribuição da sua mercadoria para cada um dos seus clientes.

Na hora em que você for escolher o seu Sistema de Gestão Empresarial tenha em mente absolutamente todas as funções que você quer que essa ferramenta auxilie sua empresa e seus colaboradores a desempenhar, e também as que você quer que o sistema execute no seu lugar, ou que você acha necessário que substitua algum de seus funcionários.

Além da integração com as Notas Fiscais Eletrônicas, esses Sistemas de Gestão Empresarial, amparam em toda a área financeira da empresa, estoques, logística, comercial, contabilidade, gerencial, controle do fluxo de caixa

Monitorando todos os valores que entram e saem da sua empresa, administrando contas a pagar e a receber e demais departamentos, tendo um retorno de informações rápido, preciso e com muito mais clareza.

É de extrema importância considerar na hora da escolha, que este ERP seja focado exclusivamente ao meio agrícola, ou que possua um módulo voltado para a organização de empresas desse setor.
Outros tipos de comércio têm de realizar atividades que estão muito distantes da realidade do campo, assim como uma empresa agrícola possui demandas e necessidades que demais empresa não dispõe, pois são comércios e produtos com muitas diferenças entre si, assim como a maneira de registrá-los no software, a forma como cobram os valores sobre essas mercadorias, e assim sucessivamente.

Quando se tem apenas uma estrutura bem montada o sistema é capaz de funcionar perfeitamente bem, esses softwares mais modernos e responsivos transmitem mais agilidade a quem os utiliza, pois possuem poucas telas, o que faz com que seu carregamento seja mais veloz e com que as funções necessárias sejam encontradas com poucos cliques, em questão de segundos.
Se por ventura você obtiver mais de uma Inscrição Estadual no mesmo CPF em que sua empresa agrícola está cadastrada, é importante que este sistema consiga acessar todas elas por meio de uma única conta. Observe se além da emissão da nota fiscal eletrônicas do produtor rural, esse ERP também tem de emitir Receituário Agronômico, se este ítem estiver dentro das necessidades do seu empreendimento.

Alguns Sistemas de Gestão Empresarial possuem ainda mais funções úteis no dia a dia do campo, como por exemplo:

1. Gerenciar toda a produção;

2. Contratos de vendas (CPR’s);

3. Autorizações de faturamento;

4. Indicadores gerenciais;

5. Transferência e emissão de notas sobre romaneio;

6. Controle de compra e venda de produtos;

7. Contratos de exportação;

8. Vendas a fixar;

9. Produção de relatório de sementes;

10. Cadastro de clientes;

11. Referências de localização no estoque de peças ou produtos;

12. Contas a pagar e receber.

Quando se tem uma ajuda informatizada para administrar a sua empresa, você consegue ter resultados e relatórios gerados com mais clareza, redução significativa de erros por falha humana, todas as funções organizacionais do seu negócio estão no mesmo local e podem ser acessadas com poucos cliques a qualquer momento, e de qualquer lugar em que possua internet, até mesmo através de dispositivos móveis.

É possível economizar em mão de obra, diminuindo o número de funcionários que trabalham para a sua empresa, as informações de fluxo de caixa são aperfeiçoadas, já que a movimentação monetária não é mais registrada em várias planilhas de Excel, ou em alguns casos em cadernos com anotações feitas à mão, tudo é lançado no sistema e quando se precisa de dados sobre entrada e saída de dinheiro.

O ERP transmite as informações com precisão, clareza e na mesma hora que são solicitadas. Fique atento apenas em notificar tudo o que acontece no seu ERP, suas informações são precisas, mas ele não tem capacidade de adivinhar se foi vendida uma porção dos seus produtos ou não, assim como saber se o fertilizante acabou, se ninguém o avisar.

Como tudo se encontra em constante mudança, independentemente da hora e do lugar, os empresários querem ter acesso às informações que tem relação com o seu negócio, alguns Sistemas de Gestão Empresarial possuem versões para mobile, fazendo com que seja possível gerenciar o negócio a qualquer hora e em qualquer lugar que possua uma conexão ativa com a Internet.
Mas para que esta função seja possível, certifique-se no ato se o software oferecido é Web, caso contrário, ele estará instalado apenas em alguns computadores da sua empresa.

A obrigatoriedade da emissão da nota fiscal eletrônica do produtor rural

É preciso estar atento em todas as atualizações referente a obrigatoriedade da nota fiscal eletrônica do produtor rural, pois cada Secretaria da Fazenda de cada estado brasileiro possui um portal diferente e a disponibilidade deste serviço pode variar de localidade para localidade.

É notável que enquanto alguns estados dominam completamente a emissão deste tipo de documentação agrícola e conseguem disponibilizar com facilidade a todos os seu usuários, obrigados ou não a possuir esse serviço, alguns estão apenas engatinhando quando o assunto é comprovação fiscal de movimentações agronômicas, mantendo-se firme no uso de modelos antigos.
Independentemente do estágio em que a região que você possui sua propriedade rural esteja, é fundamental que você e sua empresa estejam preparados, pois ano que vem inicia-se a obrigatoriedade na utilização da nota fiscal eletrônica do produtor rural, em todos os estados.

Indiferente se esta Secretaria da Fazenda esteja emitindo documentos fiscais, ela terá de começar imediatamente a oferecer esse serviço para os produtores rurais da sua região de abrangência.
No momento em que a obrigatoriedade for lançada em todas as cidades do país, todos os agricultores que ainda não possuem Certificação Digital terão de correr atrás dessa documentação.
Isso irá congestionar as autoridades certificadoras, para em seguida lotar o site da Secretaria da Fazenda do seu estado, já que muitos também deixaram para a última hora a realização do cadastro no portal e estão impedidos de transportar suas cargas, pois não possuem nota fiscal eletrônica do produtor rural.

Isso faz com que tudo atrase, negócios e mercadorias se percam, gerando um desperdício inesperado, os clientes a cada dia que passa se tornam mais impacientes quando o assunto é esperar para receber os seus produtos e acabam indo atrás de concorrentes que tem tudo o que eles precisam à mão e na hora que eles querem e acham mais oportuno.

Deixar tudo para os prazos finais, estourando o deadline, é algo comum no nosso país, os empresários ao invés de se adequarem com o que a Lei propõe que seja feito, preferem colocar o “jeitinho brasileiro” em tudo o que fazem.

Pedir prazos mais compridos, fazer gambiarras, prejudicando não só a sua empresa, mas os fornecedores e clientes que possuem ligações tributárias e comerciais com esta firma que se encontra fora da regularidade, é algo comum no país.

Muitos destes empreendedores espertinhos perdem grandes chances de realizar medidas benéficas para o seu próprio negócio e seus clientes.
Desta forma, assim que você tiver uma oportunidade, um tempinho sobrando, regularize sua situação perante a Secretaria da Fazenda do estado onde sua propriedade rural está endereçada e aproveite todas essas vantagens

Se ainda restou alguma dúvida, se você não sabe por onde começar, qual a melhor maneira de dar os seus primeiros passos em direção à evolução tecnológica dentro da sua empresa e precisa de ajuda na hora de fazer a sua Certificação Digital, percebeu que a sua empresa precisa mesmo de um Sistema de Gestão Empresarial Agrícola, o ER360Agro. Aguardamos seu contato!

Veja Também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *